Atendimento:
(48) 3028-5312
(48) 3879-4479

contato@melissabristot.com.br

Endereço:
Ed. Belo Empresarial – Av. Osmar Cunha, Nº 126
Rua Nereu Ramos, Nº 96 – (sala 213)
Centro Florianópolis/SCObs: (Edifício com entrada nas 2 ruas)

Horários:
2ª feira – 5ª feira:
8h30 – 12h00 | 13h00 – 18h00
6ª feira:
9h00 – 12:00 | fechado na parte da tarde

Dra Melissa Bristot - Dermatologista | Vitiligo: Saiba mais sobre a doença!
16409
post-template-default,single,single-post,postid-16409,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Vitiligo: Saiba mais sobre a doença!

Vitiligo: Saiba mais sobre a doença!

O vitiligo é uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele, podendo afetar qualquer tipo de pele. Pode se desenvolver em qualquer parte do corpo, até mesmo o cabelo, o interior da boca e os olhos. O vitiligo é uma doença autoimune e multifatorial em que predisposição genética e fatores externos contribuem para seu aparecimento, que é caracterizado por manchas brancas na pele.

Sintomas:
A maioria dos pacientes de vitiligo não manifesta qualquer sintoma além do surgimento de manchas brancas na pele. Em certos casos, há o relato de sensibilidade e dor na área afetada. E quando o vitiligo é detectado, o dermatologista pode classificá-lo pelos tipos:

– Focal: forma mais comum. As manchas aparecem em mais de um local do corpo, como rosto e mãos;
– Segmentar: manchas surgem somente em um lado do corpo;
– Generalizado: mais raro, é o tipo em que as manchas atingem quase o corpo inteiro.

Causas:
As causas de vitiligo ainda são desconhecidas. O que se sabe é que a doença ocorre quando as células formadoras de melanina morrem ou deixam de produzir melanina (pigmento que garante a cor da pele, do cabelo e dos olhos).
Acredita-se que vitiligo possa ser uma doença autoimune, em que o próprio sistema imunológico da pessoa ataca e destrói os melanócitos, e também pode estar relacionada à herança genética ou a fatores externos, como exposição excessiva ao sol, a situações de estresse e a produtos químicos.

Tratamento:
O tratamento do vitiligo é individualizado e deve ser discutido com um dermatologista, conforme as características de cada paciente, pois os resultados podem variar consideravelmente entre uma pessoa e outra.
As lesões provocadas pela doença, geralmente impactam significativamente na qualidade de vida e na autoestima. Por isso, na maioria casos, recomenda-se o acompanhamento psicológico, que pode ter efeitos bastante positivos nos resultados do tratamento.

Prevenção:
Os pacientes precisam se proteger do sol, com chapéus, óculos de sol e filtros solares, controlar o estresse e evitar roupas apertadas ou que provoquem atrito ou pressão sobre a pele.

O médico dermatologista é o profissional mais indicado para realizar o diagnóstico e tratamento da doença. Ao detectar os sintomas, entre em contato conosco!