Atendimento:
(48) 3028-5312
(48) 3879-4479

contato@melissabristot.com.br

Endereço:
Ed. Belo Empresarial – Av. Osmar Cunha, Nº 126
Rua Nereu Ramos, Nº 96 – (sala 213)
Centro Florianópolis/SCObs: (Edifício com entrada nas 2 ruas)

Horários:
2ª feira – 5ª feira:
8h30 – 12h00 | 13h00 – 18h00
6ª feira:
9h00 – 12:00 | fechado na parte da tarde

Dra Melissa Bristot - Dermatologista | Queda de cabelo
64
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-64,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-15.0,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Queda de cabelo

About This Project

A queda de cabelo é uma mudança no ciclo capilar que provoca o aumento dos fios na fase da queda. Quando está tudo normal e equilibrado no organismo humano cerca de 85% dos fios do couro cabeludo estão crescendo e 15% estão em fase de repouso ou queda. O cabelo tem um ciclo constante sendo que em média um cabelo cresce por volta de 4 anos, entra na fase de repouso por 3 – 5 meses, cai e volta a nascer, completando um ciclo: nascimento, crescimento, repouso, queda, nascimento e assim por diante. O número de fios que cai por dia é específico para cada pessoa e pode variar de 50-100 fios. O mais importante é haver percepção da mudança de quantidade de fios, para procurar diagnóstico e tratamento o mais precocemente possível.
Há muitas causas e também doenças que levam a queda do cabelo, dentre as mais comuns estão:

EFLÚVIOS: Nome dado para queda capilar difusa sem alterações na estrutura do fio. O eflúvio pode acontecer por vários motivos e geralmente começa 3 meses após o problema desencadeante:

1 – Alteração da Tireoide – tanto o Hipotireoidismo quanto o Hipertireoidismo levam a queda de cabelo importante, pois a tireoide está relacionada ao metabolismo geral do organismo
2 – Anemia: a diminuição dos glóbulos vermelhos assim como do ferro e da ferritina podem estar associados a queda de cabelo.

3 – Doenças infecciosas: alterações como pneumonia, dengue, gripes muitos fortes consomem energia do organismo e sinalizam para que o cabelo entre na fase de repouso. Isso significava que cerca de 3 meses depois de um quadro de infecção esses cabelos podem cair representando um eflúvio.

4 – Pós-parto – durante a gravidez ocorre uma grande mudança em diversos hormônios femininos. A concentração de estrógeno, em especial, aumenta significativamente, mantendo maior quantidade de fios na fase anágena e menor na telógena, o que resulta em uma diminuição na queda. Após o parto, acontece um novo rearranjo hormonal, com estrógeno voltando rapidamente à concentração normal, o que acelera a entrada de vários folículos na telógena, desencadeando assim uma queda acentuada. O quadro, no geral, resolve-se sozinho entre seis e nove meses, mas um tratamento adequado receitado por um especialista pode acelerar a melhora.

5 – Cirurgias em geral – Lembrar que a cirurgia bariátrica provoca queda de cabelo. Outros tipos de cirurgia também afetam o organismo como um todo devido ao estresse e as medicações e podem provocar queda de cabelo cerca de 2 a 3 meses após a mesma.

6 – Regimes Extremos – Quando a pessoa perde um peso significativo em um período curto de tempo o cabelo tende a cair significativamente.

7 – Causa emocional Estresse psicológico intenso pode causar em algumas pessoas o eflúvio telógeno, ou queda de cabelo súbita e difusa. Situações traumáticas, como perda de um ente querido, acidentes ou violência, podem fazer com que os folículos capilares entrem em repouso prematuramente, o que desencadeia a queda. Quando a ocorrência é ultrapassada ou o corpo se ajusta a ela, o cabelo geralmente volta a crescer.
8 -Drogas/Medicações – alguns medicamentos podem levar a queda temporária, como os seguintes: captopril, enalapril, metildopa, cimetidina, amiodarona, ibuprofeno, antidepressivos, doses elevadas de vitamina A, entre outros.
9 -Desnutrição e falta de vitamina – a ingestão inadequada de proteínas e vitaminas pode levar a uma queda significativa de cabelo.

Calvície ou Alopecia Androgenética
Esta é outra causa de queda de cabelo onde além de haver, maior queda também acontece o afinamento do fio principalmente no topo da cabeça. A calvície ou alopecia androgenética é genética e tem a influência dos hormônios androgênicos que são os hormônios masculinos. É importante entender que a calvície não é uma doença hormonal, mas sim genética que começa na puberdade e afeta cerca de 80% dos homens e 50% das mulheres ao longo da vida. Os cabelos podem cair mais ou menos, porém sofrem afinamento progressivo até desaparecerem. Quando o fio fica fino demais ele morre e tem uma queda definitiva. Por esse motivo o diagnóstico e tratamento precisam ser feitos precocemente.

Tratamento – O tratamento da queda de cabelo consiste na correção das causas quando forem detectadas, deficiências alimentares, doenças associadas ou alterações emocionais. É importante lembrar que a queda ocorre rapidamente, mas o crescimento de um novo fio demora, pois ele cresce cerca de 1 cm por mês. Por isso, a recuperação e o crescimento dos cabelos serão percebidos de forma gradativa. A terapia deve ser realizada com medicamentos via oral e/ou tópicos, ambos necessitando de uso por longa duração para resultados satisfatórios.

Algumas opções de tratamento: MMP – Microinfusão de Medicamentos na Pele, é uma opção de tratamento que ativa os fatores de crescimento. A técnica introduz os medicamentos tópicos no couro cabeludo com agulhas acopladas, estimulando assim a vascularização e o folículo capilar. O procedimento injeta os princípios ativos na pele de forma eficaz e precisa, agindo somente no local da queda. Após atuarem no tecido e eliminados pelo organismo, sem toxicidade sistêmica.
Minoxidil – Melhora a fase de crescimento do cabelo e acelera o espessamento do fio. É útil no tratamento da calvície e alopecia aerata.
Finasterida– Age em uma enzima chamada 5 alfa redutase e diminui o hormônio DHT que é causador do afinamento do fio.
Aminoácidos e vitaminas – Em geral usamos aminoácidos como a cisteína, queratina, taurina, além, de vitaminas como biotina, vitamina C, vitamina D, entre outras.
Laser de Baixa Potência ou LED – Essas luzes emitem energia que atinge diretamente o folículo piloso promovendo bioestimulção local. Essa biostimulação afeta a mitocôndria melhorando o desempenho celular e estimulando o crescimento e espessamento capilar.
Se você está sentindo o seu cabelo cair procure um médico especializado para fazer o diagnóstico corretamente. O tratamento pode variar de acordo com cada caso e paciente, a conduta deve ser individual.

Custom Field

Lorem ipsum dolor sit amet

Date
Category
Serviços